Rita Redshoes, a cantar em “casa”, fechou a primeira noite das Festas de Loures. Passavam poucos minutos das 23 horas, quando, de calças pretas e blusa de lantejoulas, lançou o primeiro “boa noite”, acompanhada por um quarteto de cordas, com dois violinos, viola e violoncelo, ao qual se juntam Nuno Lucas, no baixo, e Rui Freire, na bateria, dois dos músicos que habitualmente acompanham Rita Redshoes ao vivo.

O concerto contou com a apresentação de algumas das músicas do seu mais recente álbum, “Her”, como “Hell, I’m in Love With You”, revisitando ainda memórias de trabalhos mais antigos. O álbum “Golden Era” foi uma revisitação certeira com “Choose Love”, tocado ao piano por Rita Redshoes, a receber muitos aplausos, bem como “Captain of My Soul”, de 2010.

Depois de cantar o tema “Vestido”, música escrita em parceria com Pedro Silva Martins, autor das músicas e letras dos “Deolinda”, Rita Redshoes despediu-se do público da terra que a viu crescer com “Dream On Girl”, tema que deu origem ao seu primeiro álbum.

Desta feita, no Pavilhão Paz e Amizade, as atenções estavam reservadas para Ana Moura que foi recebida por milhares de fãs.

Há mais de um ano que Ana Moura anda a percorrer as melhores salas de espetáculos do Mundo para apresentar “Moura”, disco editado no final de 2015. No dia 21 de julho chegou a vez de Loures receber uma das vozes do fado mais bonitas de Portugal.

A cantora subiu ao palco acompanhada de Francisco Pereira, na guitarra portuguesa, Pedro Soares, na viola fado, André Moreira, no baixo, João Gomes, nas teclas, e Mário Costa, na bateria, tendo presenteado o público com temas como “Moura Encantada”, “Ninharia”, “Caso Arrumado”” ou “Tens os Olhos de Deus”.

Mas foi com “Fado Dançado”, com letra de Miguel Araújo, que o público de Loures começou a interagir com a artista. “Se o fado se canta e chora, também se pode dançar”, disse Ana Moura, bailando e pedindo ao público para fazer o mesmo e acompanhar com palmas.

Antes de interpretar um dos seus hits, “Leva-me aos fados”, fez um aquecimento do refrão com o público: “Vamos ver se essas vozes estão afinadas. Vocês cantam ‘Leva-me aos fados’ e eu canto o resto”, pediu Ana Moura. Momento que fez com que a fadista e o público estivessem pela primeira vez em sintonia.

E sem parar passa para o tão esperado “Dia de Folga”, com que termina a primeira parte do espetáculo, ainda antes de presentear o público com o encore. Já a terminar o concerto, Ana Moura interpreta “Fado Loucura” para depois terminar em apoteose com “Desfado”, um dos temas mais aplaudidos da noite.

Este foi o primeiro de três concertos programados para o Pavilhão Paz e Amizade. Os próximos concertos reservam Tito Paris, a 22 de julho, e Orquestra da Amizade Loures/Seixal, agendado para 23 de julho, sempre às 22 horas.

 

Fonte: cm-loures.pt

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *